Guias de Viagem e Arte

 
 
abr 15 2007

Seguimos na Maragatería … um dia inesquecível … (A Saga do Caminho 21)

Na saída de Santa Catalina de Somoza um céu azul já dava a entender o dia lindo que nos guiaria. Estávamos a cerca de 950 metros acima do nível do mar e o dia era de subida.

Na metade do dia, chegaríamos à mitológica “Cruz de Hierro”, o ponto mais alto do Caminho Francês, a 1.500 metros acima do nível do mar. Ademais, o lugar onde se deve deixar uma pedra para pedir proteção. Eu carregava desde França nossas pequenas pedras … mas isto será mais adiante … (Ou quem sabe eu deva dividir em dois este relato, porque este foi um daqueles dias em que todo sai “redondo” e deve-se aproveitá-lo até o fim!).

À saída de Santa Catalina de Somoza este cachorro tão enigmático parecia vigiar nossos passos. Era como se ele estivesse na janela de sua casa espiando a dois forasteiros que deixavam a cidade!
Caminho de Santiago Francês Caminho de Santiago Francês

Comemos em Rabanal del Camino, uma típica e linda cidade maragata, que resurgiu com o redescubrimento do Caminho de Santiago na década de 1990. Nesta cidade vivem cerca de 60 pessoas, mas aqui o peregrino tem a sua disposição quatro albergues! Aqui reencontramos por última vez a este peregrino que se vê na foto com Tom, e com o qual havíamos começado nossa jornada na França.
Caminho de Santiago Francês

Uma subidinha, passando por paisagens de tirar o fôlego e com uma chuvinha ocasional que não tirava o brilho do que se via pelo caminho. Quando estávamos há 1.400 metros de altura encontramos Foncebadón, que é um povoado em processo de reconstrução. Durante a Idade Média foi um dos lugares mais famosos da Maragatería. Aqui em 946, se realizou o Conselho do Monte Irago, para tentar remediar os roubos que sofriam os antigos peregrinos, e no século XI albergou uma pensão e uma igreja.
Caminho de Santiago Francês

Neste antigo povoado, comemos uma torta dos deuses e bebemos um chá delicioso. Começava a chover forte, e necessitávamos um respiro. Entramos em um bar-restaurante: La Taberna de Gaia, com uma ambientação medieval super original e um cardápio bem diversificado. Neste lugar você pode comer carne de cervo, congrio, sopas ou simplesmente fazer como nós fizemos, um pequeno lanche com a “tarta de la abuela”, uma espécie debolo de chocolate FANTÁSTICO!!!

De Foncebadón, outra pequena subida de cerca de 1,9 Km e se alcança a “Cruz de Ferro”. Lugar aonde se devem deixar uma pedra para pedir proteção. Como dizia antes, eu carreguei duas pequenas pedras desde França, e agora chegava o mágico momento de deixá-las na Cruz de Ferro. Curtimos muito esta parada, foi como a primeira grande vitória do caminho. Porque vários peregrinos que repetiam a experiência contavam de forma veemente a subida à Cruz de Ferro. Depois de todo o esforço que você fez até aqui, é uma subida, mais nada que assuste!
Caminho de Santiago Francês Caminho de Santiago Francês

Fazia frio e devíamos seguir, porque ainda faltavam mais de 17 quilômetros para alcançar Molinaseca!!!


Posts relacionados:

Tudo que é bom … (de Saint-Jean-Pied-De-Port a Roncesvalles)
Dificuldades … (de Roncesvalles a Zubiri)
Eu x Eu (de Zubiri a Cizur Menor)
Perdão e Reflexão (de Cizur Menor a Puente de la Reina)
Eu necessito … (de Puente de la Reina a Estella)
Da fonte de vinho a pocilga (de Estella a Los Arcos)
A chegada a La Rioja (de Los Arcos a Logroño)
Um lugar abençoado por Deus … (de Logroño a Ventosa)
O importante não é chegar … é ir! (de Ventosa a Santo Domingo de la Calzada)
O primeiro grande desafio (de Santo Domingo de la Calzada a Montes de Oca)
Divagações em Atapuerca (de Montes de Oca a Agés)
Os grandes tesouros (de Agés a Burgos)
Feliz na Aldeia Global! (de Burgos a Hontanas)
Gente de todas as cores e sabores … (de Hontanas a Boadilla del Camino)
Da obra gigantesca ao pequeno milagre da vida! (de Boadilla del Camino a Carrión de los Condes)
Simplesmente humanos! (de Carrión de los Condes a Sahagún)
Não estou louca, nem virei psico-autora, apenas tive vontade de me abrir ao mundo! (de Sahagún a Mansilla de las Mulas)
Tempo de Turismo! (de Mansilla de las Mulas a León)
Em homenagem ao Gustavo: cancun, cancun … (de León a Puente y Hospital de Órbigo)
Chuva e cozido: um dia de reis (de Puente y Hospital de Órbigo a Santa Catalina de Somoza)

Imagens: turomaquia_2006

1 Comentário

  1. Astroyorch

    Felicidades por tu matrimonio (al final sigo por aquí, aunque en breve espero irme a México…)besitosJorge

    responder

Siga o Turomaquia no Instagram

Instagram

  • Depois de ver a série sobre Chernobyl na HBO, decidi comprar o livro da bielorussa e ganhadora do Nobel da Literatura, Svetlana Alexiévich. 🌟Madre mía, que livro. Para quem assistiu a mini série, a história do bombeiro e sua esposa é uma das que aparece nesse conjunto de entrevistas que pouco a pouco conformam diante de nossos olhos a história das pessoas invisíveis e muitas delas “desaparecidas” graças ao acidente de Chernobyl.

Essas vozes vão desenhando o que verdadeiramente aconteceu naquele 26 de abril de 1986 e nos meses subsequentes. E no fundo, vamos compreendendo como se forjou o caráter soviético resignado de entregar à própria vida ao Estado.

Entramos na vida de pessoas que de crianças sofreram com o Cerco a Leningrado (atual São Petersburgo) e que por ironia do destino hoje vivem na enorme área afetada pelo desastre. ➡️ Mas que vivem, sobrevivem vendo crianças que sucumbem aos mais diversos tipos de câncer, mulheres e homens que não podem ter filhos e um desalento que lhes leva a viver de glórias  e tempos passados. Porque além do desastre, das casas que deixaram, dos seres amados que perderam, também viram como seu mundo inteiro desabava com a quebra do bloco soviético.

A escrita de Svetlana é brilhante e como o outro livro que comentei “Pátria”, devia ser outra leitura obrigatória no Ensino Médio. Daqueles livros que fazem com que saímos da zona de conforto do nosso próprio umbigo, porque nos revela um sofrimento que dificilmente quaisquer de nós poderia suportar. Uma zona do mundo onde reina a desesperança. (Link da edição em português na bio)

#chernobyl #svetlanaalexievich #turolivros #oqueler  #vozesdetchernobil #desafioumlivropormês #books📚
  • Nem só do mosteiro vive Alcobaça. Dá uma olhada nas primeiras fotos 🤪 Preparei um guia completo para você desfrutar muito da cidade e do seu Patrimônio Mundial da Humanidade. Link na bio 👈🏽 #alcobaca #portugalovers #foodlovers #ondecomeremportugal #centrodeportugal #restauranteportugal #patrimoniomundialdelahumanidad
  • A Grécia 🇬🇷 nos faz felizes 💙 Qual lugar enche tua alma de felicidade, carrega tuas pilhas?

#greecelovers #grecia #creta #happymoment #travel_captures
  • Coisas que só a Grécia faz por você! Não é só o por do sol claro 🤪 É ver no mesmo dia sítios arqueológicos, praias de águas cristalinas com tumbas romanas, cidades históricas e restaurantes de beira de estrada incríveis. E terminar a jornada com este panorama 💙🧡 Tudo isso é mais você pode ver no post sobre nossas 24 horas de carro em Creta. O link está na bio 👀

Você conhece Creta? Qual é teu lugar favorito dessa ilha?

#creta #rethymnon #greecelovers❤️🇬🇷 #roteirodecarro #grecia
  • Diz se essa avenida não é linda!? Fica na entrada de Telde, que é uma cidade do lado da minha e é também onde se encontra o aeroporto da ilha. 
#grancanarialovers #telde #canaryislands🌴 #beautifulstreet
  • Uma das igrejas mais surpreendentes que eu já visitei ☀️ olha a foto do exterior para entender um pouco a minha surpresa! 🌎 Tem roteiro com mapa no Turomaquia.com para vc curtir a cidade que abriga está belezura. Aliás, esse é um dos bate e volta clássicos desde Milão. ❓Qual foi a igreja que vc visitou que mais te surpreendeu?

#barroco #roteiroitalia #italialovers #bergamo #milao

Follow Me!