Guias de Viagem e Arte

 
 
jul 14 2016

Antony Gormley – o escultor que conseguiu dar forma à ausência

Antony Gormley nasceu em Londres em 1950. Tenho que confessar que não conhecia sua obra. Pesquisando videos interessantes de arte lá pelos idos de 2012, dei com os videos de um artista chamado Michael Fletcher.

Um video em especial me chamou atenção, de um lago na Austrália. Na verdade um lago que quase nunca tem água, onde reinam 51 esculturas.

Comecei a pesquisar, e descobri que as esculturas foram encomendados ao Antony Gormley em 2003, para comemorar os 50 anos do Festival de Artes de Perth. As esculturas representam os 51 residentes da cidade de Menzies. Elas iam ser retiradas ao final do festival, mas o pessoal curtiu tanto, que resolveu deixar. Hoje é um super atrativo turístico. Um museu ao ar livre num lago de água salgada, enorme, que quase nunca tem água, e que você pode caminhar ao seu bel-prazer. O lago fica no oeste australiano.
antonio gormley 3

Images Of Lake Ballard from Michael Fletcher on Vimeo.

Antony Gormley: a relação do corpo com o espaço

O artista trabalha há anos com a relação do corpo humano e o espaço. Tem umas esculturas incríveis onde o corpo parece ir se desfazendo, como se as partículas fossem sendo separadas. Normalmente suas esculturas tem o tamanho de um homem médio, ou são ainda maiores.
<Antony Gormley
antony gormley 2
antonio gormley 4
antony Gormley 1
antony gormley 3
Antony Gormley
Antony Gormley
Na minha última ida a LONDRES, dei de cara com uma obra dele na Tate Britain, apaixonei na hora pela escultura/objeto sem saber de quem era. Quando me aproximei à etiqueta, o veredito já estava dado: Gormley é um dos meus favoritos entre os artistas contemporâneos 🙂

AT: No vídeo você vê minha visita à Tate Britain e uma obra do Gormley.

Para saber mais sobre Antony Gormley, leia uma entrevista que ele concedeu ao Independent. Nesta entrevista, ele comenta suas obras mais emblemáticas.

Video 1: Michael Fletcher 
Fotos: Site de Antony Gormley
Vídeo 2: turomaquia_2016

Siga o Turomaquia no Instagram

Instagram

  • Pessoas, pessoas, pessoas ... mesmo num mundo polarizado, são os encontros que marcam nossa existência, enfim que nos fazem felizes. Hoje graças a minha amiga Leidinara do @curitidoce conheci a Kitsten do @travelandabroad que me fez essa foto, que revela como eu sou em dias em que os encontros deixam minha alma leve, leve ... Brigaduuuu Kitsten e Lola 🥰

#fotografamadrid #madri #museoreinasofia #photoshoot #hapiness
  • Olha a quantidade de pássaros no lago do  Parque del Retiro 😱

O clima está meio maluco. Choveu, fez sol, frio, nem tanto, tá parecendo Curitiba 😂

#parquedelretiromadrid #madridlovers❤️ #roteiromadri
  • Você está participando do #lendoarte2020? Se está, tenho uma baita novidade, a criação de um guia de leitura. Como o livro do Will Gompertz não traz muitas imagens, vou colocar nesse guia, as imagens das obras citadas e material extra para quem tiver a fim de saber mais sobre o tema tratado a cada capítulo. ⁣
⁣
O post está no www.turomaquia.com (coloque o link na bio) e nele pouco a pouco vão aparecer todos os capítulos. Hoje já pode consultar o material do capítulo1, mas até o final da semana, nesse mesmo link terão à disposição as imagens dos capítulos 2 e 3. Curtiu a ideia? Tem alguma sugestão de outras coisas que gostaria de ver nesse "Guia de Leitura do Isso é Arte"?⁣
⁣
Post: http://bit.ly/isso-e-arte⁣
⁣
#issoearte #willgompertz #historiadaarte #lendoarte #duchamp #elsa #afonte #artemoderna #arteconceitual
  • Me comportei muito bem, olha só o que os Reis trouxeram do Oriente 😜😜😜 #presentesdenatal #livrodemoda #livrodearte #maximhuerta #klimt #pullandbear #itcosmetics
  • O primeiro mangá da Editora Pipoca & Nanquim lançado em 2018. O personagem nos leva pelas salas do Louvre acompanhado por uma de suas divas. É uma edição linda e de grande formato. ⁣
⁣
O que eu achei mais legal foi que o autor fala de alguns artistas que não são aqueles mais buscados pelos turistas. É claro que Da Vinci aparece, mas também um pouco conhecido pelo grande público, Daubigny.⁣
⁣
O livro não se restringe ao Museu do Louvre, o personagem viaja a uma cidade próxima à Paris para se encontrar com outro grande artista ;)⁣
⁣
É uma leitura rápida. Daqueles livros para deixar na mesa da sala e rever os desenhos, bem como para  proporcionar às nossas visitas algo muito mais lindo e interessante do que uma revista de fofocas ;) #desafio1livropormês #livrosdearte #turolivros #mangaartist #louvremuseum #jirotaniguchi #pipocaenanquimeditora
  • Uma alegoria do sonho americano através da saga de uma família imigrante, os Levov. O personagem principal que parece ser e ter tudo, vê pouco a pouco como sua vida desmorona, ou melhor, a visão da perfeição que ele tinha de si mesmo e de todos aqueles que o rodeavam.⁣
⁣
Uma novela que fala sobre nossa humana debilidade em sempre tentar encontrar motivos, razões pelas quais coisas ruins, estranhas, sem sentido, acontecem em nossas vidas. E portanto, também é uma ode (de certa forma) à perda da inocência. ⁣
⁣
Philip Roth ganhou o Prêmio Pulitzer por essa novela  em 1998.⁣
⁣
Li o e-book e curti muito até os 70%, depois achei meio arrastado. Mas ninguém pode dizer que o final não é surpreendente.⁣
⁣
"Viver é entender as pessoas errado, entendê-las errado, errado e errado, para depois, reconsiderando tudo cuidadosamente, entender mais uma vez as pessoas errado. É assim que sabemos que continuamos vivos: estando errados. Talvez a melhor coisa fosse esquecer se estamos certos ou errados a respeitos das pessoas e simplesmente ir vivendo do jeito que der. Mas se você é capaz de fazer isso ... bem, boa sorte".⁣
⁣
"Ele aprendera a pior lição que a vida pode ensinar - que ela não faz sentido. E quando isso acontece, a felicidade nunca mais é espontânea. É artificial e, mesmo então, obtida ao preço de um tenaz alheamento de si mesmo e da própria história".⁣
⁣
"Quem é que está preparado para a tragédia e para o absurdo do sofrimento? Ninguém. A tragédia do homem despreparado para a tragédia - esta é a tragédia do homem comum".⁣
⁣
"O que o estava deixando espantado era como as pessoas pareciam correr para longe de si mesmas, correr para longe da matéria mesma, qualquer que fosse ela, que fizera dessas pessoas aquilo que eram e, assim drenadas de si mesmas, elas se transformavam no tipo de gente de quem, em outros tempos, elas mesmas teriam sentido pena". ▶️ Para comprar ou saber mais, clique no link da bio.

#booklover #philiproth #apastoralamericana #desafioumlivropormes

Follow Me!