Guias de Viagem e Arte

 
 
jan 18 2010

Oceanário – "metade da minha alma é feita de maresia"

Saímos de Queluz tarde, e levamos quase uma hora para desembarcar na Estação do Oriente. Na saída do trem já pronunciamos nosso primeiro OH! Que foi seguido por outros ao ver a estação por fora e a estrutura do Shopping Vasco da Gama. Quando conseguimos pisar no Parque das Nações propriamente dito, voltamos a pronunciar OHS! É impossível ver a gigantesca Ponte Vasco da Gama sem sentir-se pequeno.

Tanta novidade e surpresa nos fez tardar em chegar ao Oceanário. E não porque estivesse muito longe, a caminhada é bem agradável e se  faz por um pier de madeira que margeia o Rio Tejo. Quando subimos na bilheteria, confirmamos o que já sabíamos, primeiro que fechava às 19:00 horas (chegamos por volta das 16:50!) e que custava 11€ (agora custa 13€ – março/2014). Entramos na fila (repleta de pais com criaturas) para decidir se íamos ou não. Nosso ritmo de visita é lento. Gostamos de ler todos os cartazes, parar para comentar, fazer fotos e videos, e pensamos que talvez duas horas fosse pouco tempo e que íamos nos estressar.

Quando chegou nossa vez de comprar as entradas, perguntei à atendente qual era o tempo recomendado para a visita. Ela disse 1 hora e meia, sem exposições temporais. Como sabíamos que era naquele dia ou nunca, porque não teríamos mais tempo durante esta viagem, entramos no barco. E foi uma de nossas boas decisões de viagem.

Subindo à rampa de entrada eles já vão te contando da grande importância dos oceanos. Mas nada melhor que uma imagem impactante para sensibilizar até o mais famigerado dos seres humanos. O que se vê ao colocar o pé no edifício, e o que nos vai acompanhar durante toda a visita: o maior aquário de toda a Europa!!! São 5.000 m2 de água salgada, e paredes com 27 cm de espessura.  Para alimentar todos os animais que convivem neste espaço são necessários 150 Kilos semanais de comida!

O aquário é altamente hipnotizante, ele está onipresente, e é impossível não parar a cada aparição para admirá-lo. São umas espécies de “janela” de observação. Algumas são íntimas e com bancos para que o visitante possa simplesmente abandonar-se por instantes diante da enormidade da vida. Uma delas é gigantesca, e convida o visitante a sentar-se no chão e sentir-se ao lado de tubarões, arraias, atuns … e nesta “janela” ao fundo uma espécie de sofazão.

Além das “janelas”, se reproduzem habitats dos quatro oceanos, e no andar inferior galerias onde podemos ter uma idéia dos seres que habitam o mais profundo do mundo marinho. Também existe uma zona para sensibilização, onde os mais pequenos podem ver desenhos animados tendo como personagem principal o mascote do Oceanário, e se pode aprender mais sobre como consumir e reciclar. Aliás, em todos os cartazes se adverte do perigo de extinção de certos animais e a forma que podemos ajudar para que isto não ocorra.

Mas não é nada chato. Por exemplo, você fica sabendo que a super atração do aquário: o peixe lua, que mais parece uma pedra com olhos, é o maior peixe ósseo do mundo. Ele pode alcançar mais de 3 metros de comprimento e pesar mais de duas toneladas! Ou que cada vez que um tubarão perde um dente, já aparece outro em seu lugar, e deste jeito alguns podem chegar a ter durante sua vida, pasmem, até 20.000 dentes!!! Que a vida de tubarão-touro nem sempre é fácil. Nesta espécie ocorre um canibalismo ultra-uterino. O embrião mais rápido de cada um dois úteros da “mamãe” come os demais embriões e ovos!



Todo este mundo científico se faz poesia com os versos de Sophia de Melo Breyner Andersen que aparecem junto às pequenas janelas. Um mais lindo que o outro …

“E ousaram – aventura a mais incrível –
Viver a inteireza do possível.”

“O mar rolou as suas ondas negras
Sobre as praias tocadas de infinito”.

Não deixe de ir, e reserve ao menos duas horas, para estar ralaxado, curtindo uma tranquilidade que só o mar pode dar, porque como diz o verso final que despede ao visitante …


Leia também:
O que fazer segunda-feira em Lisboa?
Parque das Nações – a modernidade lisboeta


fotos: turomaquia_2009 (Não se pode utilizar flash, por isso desculpem as cores de algumas fotos!)

9 Comentários

  1. Silvia Oliveira

    Eu adoro essas coisas que os homens fazem com tanta criatividade para preservar/homenagear/discutir a natureza. Bjs!

    responder
  2. Luisa

    Oi PatriciaEsse Oceanario è um buraco feio no meu curriculum! Antes do teu post, eu tinha vontade de ir ao Oceanario, mas sempre deixava pra depois… Agora, com o teu post, eu me dei conta do que estou perdendo. Na minha proxima viagem a Lisboa, esse Oceanario nao me escapa! 🙂 Bjs

    responder
  3. Carol Wieser

    Uau!Você deve imaginar a minha cara ao ver esse aquário… eu que gosto de fundo de mar, rio, lagos… Adoro aquários!Tanto que tenho um em casa marinho, cheio de peixinhos e corais.Mas sabe o que mais gosto ao visitar esse tipo de lugar, é ficar embasbacada ao imaginar como somos pequenos na imensidão desse planeta aquático, affff. Filosofei.Beijos

    responder
  4. Claudia Bins (Cacau)

    Que gostoso relembrar a visita que fiz há muitos anos atrás, por ocasião da EXPO 98, onde inauguraram o aquário e o parque. Foi maravilhoso! Bom saber que tantos anos depois o lugar permanece ativo e convidativo!Belo post!Abraço,Cacauwww.mosaicosdosul.blogspot.com

    responder
  5. Patricia de Camargo

    Silvinha, realmente o que não falta é criatividade no Oceanário!Carol,não filosofou não, esta é a mais pura verdade.Cacau,imagino como foi legal estar por lá na Expo98!Beijos às três!

    responder
  6. Alice

    Oi Patrícia. Me disseram que no verão as filas são gigantes. A fila é para entrar ou apenas para comprar? Por que se for só para comprar vi que tenho a opção de comprar pela internet (blueticket) Bjos

    responder
  7. Patricia de Camargo

    Quando nós fomos a fila é para comprar a entrada. Veja se não vale a pena comprar a entrada combinada com o teleférico e o museu de ciências, que também dá direito ao trenzinho que anda pelo parque. Para nós não valia porque fomos numa segunda, quando o museu estava fechado e por causa do tempo invernal o teleférico estava fechado.Beijos

    responder
  8. Rodrigo Almeida

    Olá, vcs sabem dizer se o ingresso do Oceanário com desconto a pessoas com mais de 64 anos, é somente para membros da comunidade européia?? Ou para turistas também tem desconto??

    Grato, Blog Show de Bola!!

    responder
    • Patricia de Camargo

      Oi Rodrigo, olhei o folheto e o site, e ñ especificam nada, eu tentaria de qualquer maneira, porque normalmente quando é só para a UE vem destacado no texto.
      brigaduuu pela visita 🙂

      responder

Siga o Turomaquia no Instagram

Instagram

  • Depois de ver a série sobre Chernobyl na HBO, decidi comprar o livro da bielorussa e ganhadora do Nobel da Literatura, Svetlana Alexiévich. 🌟Madre mía, que livro. Para quem assistiu a mini série, a história do bombeiro e sua esposa é uma das que aparece nesse conjunto de entrevistas que pouco a pouco conformam diante de nossos olhos a história das pessoas invisíveis e muitas delas “desaparecidas” graças ao acidente de Chernobyl.

Essas vozes vão desenhando o que verdadeiramente aconteceu naquele 26 de abril de 1986 e nos meses subsequentes. E no fundo, vamos compreendendo como se forjou o caráter soviético resignado de entregar à própria vida ao Estado.

Entramos na vida de pessoas que de crianças sofreram com o Cerco a Leningrado (atual São Petersburgo) e que por ironia do destino hoje vivem na enorme área afetada pelo desastre. ➡️ Mas que vivem, sobrevivem vendo crianças que sucumbem aos mais diversos tipos de câncer, mulheres e homens que não podem ter filhos e um desalento que lhes leva a viver de glórias  e tempos passados. Porque além do desastre, das casas que deixaram, dos seres amados que perderam, também viram como seu mundo inteiro desabava com a quebra do bloco soviético.

A escrita de Svetlana é brilhante e como o outro livro que comentei “Pátria”, devia ser outra leitura obrigatória no Ensino Médio. Daqueles livros que fazem com que saímos da zona de conforto do nosso próprio umbigo, porque nos revela um sofrimento que dificilmente quaisquer de nós poderia suportar. Uma zona do mundo onde reina a desesperança. (Link da edição em português na bio)

#chernobyl #svetlanaalexievich #turolivros #oqueler  #vozesdetchernobil #desafioumlivropormês #books📚
  • Nem só do mosteiro vive Alcobaça. Dá uma olhada nas primeiras fotos 🤪 Preparei um guia completo para você desfrutar muito da cidade e do seu Patrimônio Mundial da Humanidade. Link na bio 👈🏽 #alcobaca #portugalovers #foodlovers #ondecomeremportugal #centrodeportugal #restauranteportugal #patrimoniomundialdelahumanidad
  • A Grécia 🇬🇷 nos faz felizes 💙 Qual lugar enche tua alma de felicidade, carrega tuas pilhas?

#greecelovers #grecia #creta #happymoment #travel_captures
  • Coisas que só a Grécia faz por você! Não é só o por do sol claro 🤪 É ver no mesmo dia sítios arqueológicos, praias de águas cristalinas com tumbas romanas, cidades históricas e restaurantes de beira de estrada incríveis. E terminar a jornada com este panorama 💙🧡 Tudo isso é mais você pode ver no post sobre nossas 24 horas de carro em Creta. O link está na bio 👀

Você conhece Creta? Qual é teu lugar favorito dessa ilha?

#creta #rethymnon #greecelovers❤️🇬🇷 #roteirodecarro #grecia
  • Diz se essa avenida não é linda!? Fica na entrada de Telde, que é uma cidade do lado da minha e é também onde se encontra o aeroporto da ilha. 
#grancanarialovers #telde #canaryislands🌴 #beautifulstreet
  • Uma das igrejas mais surpreendentes que eu já visitei ☀️ olha a foto do exterior para entender um pouco a minha surpresa! 🌎 Tem roteiro com mapa no Turomaquia.com para vc curtir a cidade que abriga está belezura. Aliás, esse é um dos bate e volta clássicos desde Milão. ❓Qual foi a igreja que vc visitou que mais te surpreendeu?

#barroco #roteiroitalia #italialovers #bergamo #milao

Follow Me!