Guias de Viagem e Arte

 
 
fev 18 2009

Chenonceau – o Castelo das Damas no Vale do Loire

No meio de tanta oferta “casteril”, aquele que mais me impactou foi o conhecido como o castelo das mulheres – o Chenonceau.
Castelo de Chenonceau
Castelo de Chenonceau
A primeira “mulher” que se relacionou com a propriedade foi Catherine Bohier que supervisava as obras de construção quando seu marido se ausentava. Depois com a morte do casal Bohier, o castelo foi confiscado por Francisco I. Seu filho, Enrique II quando chegou ao trono presenteou o castelo à sua favorita – Diane de Poitiers (imagina que presentinho? E a mulher era 19 anos mais velha que ele!!). Diane mandou construir a ponte sobre o rio. Mas não é que Enrique II morre de uma ferida em um dos olhos durante um torneio, e a mulher do cara já de saco cheio de aguentar a tal amante, exige que lhe devolva o castelo e as jóias da coroa. Diane se resistiu, mas ao final devolveu. Catherine de Medicis (a mulher do falecido) foi quem mandou construir sobre a ponte e assim o castelo adquiriu sua forma atual. Esta Catherine sabia fazer festa, para homenagear o filho e a esposa um cenógrafo foi contratado e criou estátuas, fontes, arcos de triunfo, e colocou nada menos que 30 canhões no pátio que recebiam aos convidados com seus tiros constantes!

Tá certo que a maioria dos livros somente comentam sobre a relação destas três mulheres com Chenonceau, mas teve outra, a Madame Dupin, que no século XVIII era sua proprietária e chamou para ser tutor do seu filho a Jean-Jacques Rousseau, quem acabou impedindo que o povo destruisse o castelo durante a Revolução Francesa.

Tudo neste castelo é uma delícia, muita coisa para ver … foi uma pena não ter mais tempo e curtir a lojinha, a cafeteria ou os restaurantes. Os jardins são enormes com áreas para sentar e relaxar. Não passe menos de 2 horas por aqui, eu no meu estilo “slow tourism” total, passaria toda uma manhã me sentindo a própria rainha (risos).

No site do castelo se pode encontrar muita informação, inclusive ser direcionado para a Apple Store para comprar o aplicativo do castelo por  3,99€ oferecido em diversos idiomas.
Castelo de Chenonceau - Vale do Loire
Castelo de Chenonceau - Vale do Loire
Castelo de Chenonceau - Vale do Loire
Informações Práticas
Castelo de Chenonceau - Vale do Loire
Castelo de Chenonceau - Vale do Loire

Acesso:

Horários (podem variar um pouco a cada ano, atualizei esta grade para 2016):
01/01 a 21/02: 09h30 – 17h00.
22/02 a 25/03: 09h30 – 18h00.
26 a 31/03: 09h30 – 19h00.
01/04 a 30/06: 09h00 – 19h30.
01/07 a 31/08: 09h00 – 20h00.
01 a 30/09: 09h00 – 19h30.
01/10 a 01/11: 09h00 – 18h30.
02/11 a 13/11: 09h00 – 18h00.
14/11 a 31/12: 09h30 – 17h00.
Páscoa,  Ascensão (5 a 8 de maio), Pentecostes (14 a 16 de maio): 09h00 – 19h30.

Tarifas:
Castelo (com folheto):
Adultos: 13 €
Crianças de 7 a 18 anos: 10 €
Estudantes: 10 €
Castelo (visita com audio-guia):
Adultos: 17,50 €
Crianças de 7 a 18 anos: 14 €
Estudantes: 14 €
Passeio Noturno nos jardins: 6€

Imagens site oficial: http://www.chenonceau.com/
turomaquia_2006

Postado por Patricia de Camargo | Marcadores:

4 Comentários

  1. Michel

    Oi Paty!!Que sotacão da mulher no video!! hueuhehhe bem interessante a história, ainda mais contando assim de um jeito mais informal e divertido..Tem gente que briga por um castelo.. eu brigo por um trabalho.. huehueuheBeijos e muita paz sempre!!!Michel

    responder
  2. Cacá

    Patricia, que delícia de posts!Eu estive no Vale do Loire na Páscoa de 2007 e gostei muito.É bom relembrar os lugares por onde passei e ler uma outra visão. :)Vou acompanhar bem esse série!Beijocas…

    responder
  3. Patricia de Camargo

    Oi Michel, tô torcendo por ti!!!!E sim o sotaque é forte, mas assim inclusive se entende melhor o que ela fala (risos)Beijos

    responder
  4. Patricia de Camargo

    Oi Cacá (a mulher das mil e umas receitas maravilhosas!)Nós estivemos por lá em 2006 e foi inesquecível, mais adiante pensamos em fazer todo o vale de bici.Beijos

    responder

Siga o Turomaquia no Instagram

Instagram

  • O que é isso? Uma estação de trem basiquinha 😂😂 Qual foi a estação de trem mais bonita que você já conheceu?

#atocha #trem #madrilovers #tremEspanha
  • O entardecer da janela do nosso quarto de hotel. Como alguém abandona esse lugar? 
Mas amanhã não tem jeito, porque uma cidade monumental nos espera no sul 🙆🏼‍♀️ #madridview #madrilovers #hotelview #hotelesdeensueño #madri
  • Pelas ruas de Madri 💁🏽‍♀️ #street_photography #madrilovers #madrid🇪🇸 #espana🇪🇸
  • Desfrutando de uma visão 360 graus de Madri, onde? No nosso hotel. Para descobri-lo, clique no link da bio 💁🏽‍♀️ #viewmadrid #madrilovers #espanha🇪🇸 #hotelcomvistas
  • Depois de ver a série sobre Chernobyl na HBO, decidi comprar o livro da bielorussa e ganhadora do Nobel da Literatura, Svetlana Alexiévich. 🌟Madre mía, que livro. Para quem assistiu a mini série, a história do bombeiro e sua esposa é uma das que aparece nesse conjunto de entrevistas que pouco a pouco conformam diante de nossos olhos a história das pessoas invisíveis e muitas delas “desaparecidas” graças ao acidente de Chernobyl.

Essas vozes vão desenhando o que verdadeiramente aconteceu naquele 26 de abril de 1986 e nos meses subsequentes. E no fundo, vamos compreendendo como se forjou o caráter soviético resignado de entregar à própria vida ao Estado.

Entramos na vida de pessoas que de crianças sofreram com o Cerco a Leningrado (atual São Petersburgo) e que por ironia do destino hoje vivem na enorme área afetada pelo desastre. ➡️ Mas que vivem, sobrevivem vendo crianças que sucumbem aos mais diversos tipos de câncer, mulheres e homens que não podem ter filhos e um desalento que lhes leva a viver de glórias  e tempos passados. Porque além do desastre, das casas que deixaram, dos seres amados que perderam, também viram como seu mundo inteiro desabava com a quebra do bloco soviético.

A escrita de Svetlana é brilhante e como o outro livro que comentei “Pátria”, devia ser outra leitura obrigatória no Ensino Médio. Daqueles livros que fazem com que saímos da zona de conforto do nosso próprio umbigo, porque nos revela um sofrimento que dificilmente quaisquer de nós poderia suportar. Uma zona do mundo onde reina a desesperança. (Link da edição em português na bio)

#chernobyl #svetlanaalexievich #turolivros #oqueler  #vozesdetchernobil #desafioumlivropormês #books📚
  • Nem só do mosteiro vive Alcobaça. Dá uma olhada nas primeiras fotos 🤪 Preparei um guia completo para você desfrutar muito da cidade e do seu Patrimônio Mundial da Humanidade. Link na bio 👈🏽 #alcobaca #portugalovers #foodlovers #ondecomeremportugal #centrodeportugal #restauranteportugal #patrimoniomundialdelahumanidad

Follow Me!