Guias de Viagem e Arte

 
 
set 15 2009

Quartos de hotel: com que convidado inesperado você já dormiu?!

Patricia e Tom estavam sentados no restaurante da Pousada Água Doce. Disfrutavam daquele jantar que tinha sabor de glória depois do dia cheio de aventuras na Toyota e da caminhada à Lagoa da Gaivota. Um detalhe, ambos estavam sem óculos, afinal só estavam e comendo, e não tinham interese do que passava no jornal naquele momento, estavam longe da civilização de qualquer maneira.Quando já iam terminado a comida, começaram a ver dois passarinhos pretos dando voos rasantes ali mesmo no teto do restaurante. O debate começou, que passarinho é este, para encurtar o tema resolveram perguntar a moça que servia, e inquietar a dúvida. Ela meio sem graça, quase sem saber se dizia ou corria, explicou que não eram passarinhos, mas morceguinhos!

Ai, ai, ai, a natureza é linda, mas não é só território do homem, porque senão não seria natureza, e sim cidade ou seja lá o nome que se dê. Estar em um parque nacional gigantesco é fantástico, e uma oportunidade de dividir teu espaço com outros seres…


Como ficava Patricia convivendo com estes novos hóspedes!

Na mesma noite do episódio do dois bobos “ceguinhos” que confundem passarinhos com morceguinhos, fui até o quarto buscar algo, e o que encontro na porta, um sapo. Mas não era qualquer sapo, era um tão gordo, que o coitado nem se movia. Chamei o Tom, tentando manter as formas e sem gritar. Eu tenho trauma de sapo, desde aquela fatídica aula de biologia onde tinhamos que abrir um sapo, e um idiota levou um sapo vivo, e o dito cujo pulou em mim. Eles não fazem nada e comem um montão de mosquitos e baratas, mas fobia é esta coisa que você tem, e faz com que teu coração vá de 100 a 200 em dois segundos, uma porcaria! Quando o Tom viu o sapo, simplesmente enloqueceu, e começou a dizer: “Pega a câmara, tira uma foto”, eu lá queria saber de tirar foto, eu queria era ver o sapão se mandando de lá. O Tom nunca tinha visto um sapo tão grande, e estava fascinado com o bicho, mas vendo minha cara, resolveu com muito esforço fazer o bichinho sair da frente da nossa porta.

Em outras pousadas tivemos que conviver com pererecas e outros sapinhos. As pobres pererecas quando me ouviam gritar, saiam correndo, desesperadas, certamente matei alguma enfartada. Eu bem sei, que é ridículo ficar histérica por estes bichinhos que só ajudam, já que se alimentam de outros que são sujos e repelentes. Mas tenho que confessar que alguns dias tive aquele sono leve, que te faz acordar com qualquer
suspirinho. Mas logo amanhecia, e novas paisagens surreais me faziam esquecer de tudo, e à noite tinha ao meu lado o Tom, que afugentava as “feras” para que eu pudesse dormir em paz (risos). E afinal o estranho seria não ver nenhum pequeno animlazinho no meio de tanto bosque, rio, areia e mar. E matar não pode, porque todos fazemos parte desta famosa cadeia alimentar, que aquela professora de biologia também ensinou na mesma classe fatídica!

E você, qual foi o hóspede mais estranho ou assustador que já tentou dormir no teu quarto de hotel ???

Na Blogosfera:
O relato super divertido da Cecília sobre os geckos tailandeses –
http://viajeaqui.abril.com.br/blog/de-mochila.shtml

As duas ilustrações são da artista Giselle Moscardi, para conhecer melhor o seu trabalho visite o blog:
http://gimoscardi.blogspot.com

Quer ficar sabendo quando saem os próximos posts?
Então curta nossa página no Facebook, clicando aqui.
Siga o nosso Twitter @turomaquia.
Veja nossas fotos no Instagram – Turomaquia.

Postado por Patricia de Camargo | Marcadores:

9 Comentários

  1. Malu

    Olá Patricia!Mto boa essas histórias, dei risada sozinha aqui…hahahaPra mim os hóspedes mais estranhos são aquelas aranhas q aparecem no quarto quando estamos de férias em algum lugar bem no meio do mato tipo o Pantanal…Bjos!!!

    responder
  2. Claudia Pimenta

    oi patricia! nossa, estes hóspedes são mesmo difíceis de lidar (risos)… mesmo eu sendo bióloga! prefiro algo mais sossegado! bjs, querida!

    responder
  3. Viniart

    Putz … nem fale uma vez uma centopéia dormiu no meu quarto, e eu não sou de ficar matano nem nada, mas sabe quando vc dorme com um olho fechado e outro abertoooo !!! então e acabei dormindo acordado rsrrs só vendo pra onde a danada ia…MAs acabei adormecendo de tanto cansaço !Um abraço !

    responder
  4. Patricia de Camargo

    Malu, minha pior experiência pantaneira foram os pernilongos gigantescos que te sugavam até a alma jejejejeBeijos

    responder
  5. Patricia de Camargo

    Claudia, tua relação deve ser outra sendo bióloga jejejejeVini, é bem isso que eu senti em certas noites, como se o fato de olhar fizesse com que os "amiguinhos" n#ao se aproximassem de mim heheheheBeijos aos dois

    responder
  6. Carol Wieser

    Baratas!!! ahhhhhh…Não as odeio, mas não as surporto!!:-?Em Los Roques, nosso quarto estava bem habitado por elas, e a habitação era bem limpa. E tinha bastante… nem liguei muito, pois na Australia tive que conviver com elas os 10 meses que habitei nosso ape. Eu colocava veneno, matava, fechava ralos, mas pareciam que surgiam do nada!!! Umas pragas.Um dia acordei com uma em cima de mim quando estava dormindo, ai quase que fui eu que matei o maridex de enfarto, e a barata, ah a barata voou longe, mas não morreu a desgraçada!Raiva!:evil:

    responder
  7. Anonymous

    Oh,dó da filhinha e coitado do genro predileto, mas amei a sua caricatura.Beijos Vica

    responder
  8. Patricia de Camargo

    Caramba Carol, não sabia não deste problema australiano! Lugar com praia é assim, aqui tem bastante mas não em casa. Graças a Deus! E realmente elas são super fortes, aqui a prefeituratenta de tudo, mas é que um bichinho danado, sobrevive a tudo jejejejeBeijos

    responder
  9. Patricia de Camargo

    Vica, não é uma caricatura minha, é uma ilustração da Giselle, mas achei que mostrava bem meu ataque histérico jejejeje

    responder

Siga o Turomaquia no Instagram

Instagram

  • Pessoas, pessoas, pessoas ... mesmo num mundo polarizado, são os encontros que marcam nossa existência, enfim que nos fazem felizes. Hoje graças a minha amiga Leidinara do @curitidoce conheci a Kitsten do @travelandabroad que me fez essa foto, que revela como eu sou em dias em que os encontros deixam minha alma leve, leve ... Brigaduuuu Kitsten e Lola 🥰

#fotografamadrid #madri #museoreinasofia #photoshoot #hapiness
  • Olha a quantidade de pássaros no lago do  Parque del Retiro 😱

O clima está meio maluco. Choveu, fez sol, frio, nem tanto, tá parecendo Curitiba 😂

#parquedelretiromadrid #madridlovers❤️ #roteiromadri
  • Você está participando do #lendoarte2020? Se está, tenho uma baita novidade, a criação de um guia de leitura. Como o livro do Will Gompertz não traz muitas imagens, vou colocar nesse guia, as imagens das obras citadas e material extra para quem tiver a fim de saber mais sobre o tema tratado a cada capítulo. ⁣
⁣
O post está no www.turomaquia.com (coloque o link na bio) e nele pouco a pouco vão aparecer todos os capítulos. Hoje já pode consultar o material do capítulo1, mas até o final da semana, nesse mesmo link terão à disposição as imagens dos capítulos 2 e 3. Curtiu a ideia? Tem alguma sugestão de outras coisas que gostaria de ver nesse "Guia de Leitura do Isso é Arte"?⁣
⁣
Post: http://bit.ly/isso-e-arte⁣
⁣
#issoearte #willgompertz #historiadaarte #lendoarte #duchamp #elsa #afonte #artemoderna #arteconceitual
  • Me comportei muito bem, olha só o que os Reis trouxeram do Oriente 😜😜😜 #presentesdenatal #livrodemoda #livrodearte #maximhuerta #klimt #pullandbear #itcosmetics
  • O primeiro mangá da Editora Pipoca & Nanquim lançado em 2018. O personagem nos leva pelas salas do Louvre acompanhado por uma de suas divas. É uma edição linda e de grande formato. ⁣
⁣
O que eu achei mais legal foi que o autor fala de alguns artistas que não são aqueles mais buscados pelos turistas. É claro que Da Vinci aparece, mas também um pouco conhecido pelo grande público, Daubigny.⁣
⁣
O livro não se restringe ao Museu do Louvre, o personagem viaja a uma cidade próxima à Paris para se encontrar com outro grande artista ;)⁣
⁣
É uma leitura rápida. Daqueles livros para deixar na mesa da sala e rever os desenhos, bem como para  proporcionar às nossas visitas algo muito mais lindo e interessante do que uma revista de fofocas ;) #desafio1livropormês #livrosdearte #turolivros #mangaartist #louvremuseum #jirotaniguchi #pipocaenanquimeditora
  • Uma alegoria do sonho americano através da saga de uma família imigrante, os Levov. O personagem principal que parece ser e ter tudo, vê pouco a pouco como sua vida desmorona, ou melhor, a visão da perfeição que ele tinha de si mesmo e de todos aqueles que o rodeavam.⁣
⁣
Uma novela que fala sobre nossa humana debilidade em sempre tentar encontrar motivos, razões pelas quais coisas ruins, estranhas, sem sentido, acontecem em nossas vidas. E portanto, também é uma ode (de certa forma) à perda da inocência. ⁣
⁣
Philip Roth ganhou o Prêmio Pulitzer por essa novela  em 1998.⁣
⁣
Li o e-book e curti muito até os 70%, depois achei meio arrastado. Mas ninguém pode dizer que o final não é surpreendente.⁣
⁣
"Viver é entender as pessoas errado, entendê-las errado, errado e errado, para depois, reconsiderando tudo cuidadosamente, entender mais uma vez as pessoas errado. É assim que sabemos que continuamos vivos: estando errados. Talvez a melhor coisa fosse esquecer se estamos certos ou errados a respeitos das pessoas e simplesmente ir vivendo do jeito que der. Mas se você é capaz de fazer isso ... bem, boa sorte".⁣
⁣
"Ele aprendera a pior lição que a vida pode ensinar - que ela não faz sentido. E quando isso acontece, a felicidade nunca mais é espontânea. É artificial e, mesmo então, obtida ao preço de um tenaz alheamento de si mesmo e da própria história".⁣
⁣
"Quem é que está preparado para a tragédia e para o absurdo do sofrimento? Ninguém. A tragédia do homem despreparado para a tragédia - esta é a tragédia do homem comum".⁣
⁣
"O que o estava deixando espantado era como as pessoas pareciam correr para longe de si mesmas, correr para longe da matéria mesma, qualquer que fosse ela, que fizera dessas pessoas aquilo que eram e, assim drenadas de si mesmas, elas se transformavam no tipo de gente de quem, em outros tempos, elas mesmas teriam sentido pena". ▶️ Para comprar ou saber mais, clique no link da bio.

#booklover #philiproth #apastoralamericana #desafioumlivropormes

Follow Me!