Guias de Viagem e Arte

 
 
out 05 2009

Caburé: da tristeza à alegria ….

Descemos da lancha “voadeira”. O “comandante” nos deixou bem em frente à nossa pousada. Estávamos em Caburé. Uma pequena faixa de areia entre o rio Preguiças e o oceano Atlântico. Esperamos muito por este dia. Sabia que tudo era bastante rústico, que o gerador elétrico era desligado por volta das 22:00 horas. Mas as descrições lidas antes da viagem falavam de um lugar idílico, perdido entre duas águas.Da descida já via a pousada com seus chalés. Uma casa principal, e ao seu redor diversas pequenas casinhas, que eram os quartos dos hóspedes. Na casa principal funcionava a recepção e o restaurante. Passamos pelo portãozinho da entrada, o pessoal da pousada era bem simpático, e uma senhora nos levou até nosso “chalé”. Vamos nos aproximando e  vemos através da porta entreaberta o lençol branco com bolinhas negras, que curioso! Eu e o Tom sem óculos. Quando entramos no quarto, susto! Sabe aquele momento: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come?! Resulta que as bolinhas eram dezenas de moscas!

Dificilmente entro em estado de choque. Reajo super bem em situações-limite. Mas eu não havia me preparado para aquilo. Ia além de uns sapinhos, mosquitos, pernilongos. Também é certo que todo o aspecto do quarto não ajudou muito. O Tom e a senhora começaram a colocar os mosquiteiros, para salvar as camas?!

Eu me sentei na rede de fora. Exagerei na dose? Sei lá. As expectativas em muitos casos geram este tipo de sentimento. Fiquei ali sem dizer nada, o Tom sabia que eu tinha que dar uma volta, me levou ao outro lado, ao mar. Fiquei mais um tempo sentada vendo aquele marzão.

Mas era necessário reagir já, nada de perder um minuto mais daquela viagem com auto-compaixão. Levantamos e fomos comer em um restaurante fora da pousada. Comida bem gostosa. Já me animei. Voltamos à pousada, a senhora tinha passado algo na nossa habitação, agora eram poucas, as moscas.

A maioria dos passeios desde Caburé envolviam barco, não havia vontade de se meter outra vez em qualquer embarcação. Sentamos no bar da pousada e desfrutamos de umas estupidamente geladas e da melhor caipirinha da viagem. Quando o sol já dava um pouco de respiro fomos dar uma andada, e nos deparamos com um espetáculo lindo – um por-do-sol de cair o queixo. Naquele momento, eu era só alegria, e foi só correr para o abraço …

Amanhã: FotoGaleria do por-do-sol, e razões para ir ou não à Caburé, você decide!

Quer saber mais sobre os Lençois Maranhenses, então clique aqui.

Destaque post:
Lençois Maranhenses
Caburé

fotos: turomaquia_2009

Quer ficar sabendo quando saem os próximos posts?
Então curta nossa página no Facebook, clicando aqui.
Siga o nosso Twitter @turomaquia.
Veja nossas fotos no Instagram – Turomaquia.

Postado por Patricia de Camargo | Marcadores:

3 Comentários

  1. Anonymous

    Oh! dó da criança, mas até que a sua atitude foi tudo de bom. Beijinhossss Vica

    responder
  2. Carol Wieser

    Moscas na cama da pousada ninguém merece!Bem que a senhora podia ter deixado o mosquiteiro armado antes de vocês entrarem no quarto…Mas, como em toda boa viagem, há sempre alguma coisa "diferente" para ser lembrada depois… Beijos

    responder
  3. Patricia de Camargo

    Carol, você tem toda razão, ninguém merece. E como vocè também acredito que existem coisas simples que se podem fazer para agradar a um hóspede!Beijos

    responder

Siga o Turomaquia no Instagram

Instagram

  • Pessoas, pessoas, pessoas ... mesmo num mundo polarizado, são os encontros que marcam nossa existência, enfim que nos fazem felizes. Hoje graças a minha amiga Leidinara do @curitidoce conheci a Kitsten do @travelandabroad que me fez essa foto, que revela como eu sou em dias em que os encontros deixam minha alma leve, leve ... Brigaduuuu Kitsten e Lola 🥰

#fotografamadrid #madri #museoreinasofia #photoshoot #hapiness
  • Olha a quantidade de pássaros no lago do  Parque del Retiro 😱

O clima está meio maluco. Choveu, fez sol, frio, nem tanto, tá parecendo Curitiba 😂

#parquedelretiromadrid #madridlovers❤️ #roteiromadri
  • Você está participando do #lendoarte2020? Se está, tenho uma baita novidade, a criação de um guia de leitura. Como o livro do Will Gompertz não traz muitas imagens, vou colocar nesse guia, as imagens das obras citadas e material extra para quem tiver a fim de saber mais sobre o tema tratado a cada capítulo. ⁣
⁣
O post está no www.turomaquia.com (coloque o link na bio) e nele pouco a pouco vão aparecer todos os capítulos. Hoje já pode consultar o material do capítulo1, mas até o final da semana, nesse mesmo link terão à disposição as imagens dos capítulos 2 e 3. Curtiu a ideia? Tem alguma sugestão de outras coisas que gostaria de ver nesse "Guia de Leitura do Isso é Arte"?⁣
⁣
Post: http://bit.ly/isso-e-arte⁣
⁣
#issoearte #willgompertz #historiadaarte #lendoarte #duchamp #elsa #afonte #artemoderna #arteconceitual
  • Me comportei muito bem, olha só o que os Reis trouxeram do Oriente 😜😜😜 #presentesdenatal #livrodemoda #livrodearte #maximhuerta #klimt #pullandbear #itcosmetics
  • O primeiro mangá da Editora Pipoca & Nanquim lançado em 2018. O personagem nos leva pelas salas do Louvre acompanhado por uma de suas divas. É uma edição linda e de grande formato. ⁣
⁣
O que eu achei mais legal foi que o autor fala de alguns artistas que não são aqueles mais buscados pelos turistas. É claro que Da Vinci aparece, mas também um pouco conhecido pelo grande público, Daubigny.⁣
⁣
O livro não se restringe ao Museu do Louvre, o personagem viaja a uma cidade próxima à Paris para se encontrar com outro grande artista ;)⁣
⁣
É uma leitura rápida. Daqueles livros para deixar na mesa da sala e rever os desenhos, bem como para  proporcionar às nossas visitas algo muito mais lindo e interessante do que uma revista de fofocas ;) #desafio1livropormês #livrosdearte #turolivros #mangaartist #louvremuseum #jirotaniguchi #pipocaenanquimeditora
  • Uma alegoria do sonho americano através da saga de uma família imigrante, os Levov. O personagem principal que parece ser e ter tudo, vê pouco a pouco como sua vida desmorona, ou melhor, a visão da perfeição que ele tinha de si mesmo e de todos aqueles que o rodeavam.⁣
⁣
Uma novela que fala sobre nossa humana debilidade em sempre tentar encontrar motivos, razões pelas quais coisas ruins, estranhas, sem sentido, acontecem em nossas vidas. E portanto, também é uma ode (de certa forma) à perda da inocência. ⁣
⁣
Philip Roth ganhou o Prêmio Pulitzer por essa novela  em 1998.⁣
⁣
Li o e-book e curti muito até os 70%, depois achei meio arrastado. Mas ninguém pode dizer que o final não é surpreendente.⁣
⁣
"Viver é entender as pessoas errado, entendê-las errado, errado e errado, para depois, reconsiderando tudo cuidadosamente, entender mais uma vez as pessoas errado. É assim que sabemos que continuamos vivos: estando errados. Talvez a melhor coisa fosse esquecer se estamos certos ou errados a respeitos das pessoas e simplesmente ir vivendo do jeito que der. Mas se você é capaz de fazer isso ... bem, boa sorte".⁣
⁣
"Ele aprendera a pior lição que a vida pode ensinar - que ela não faz sentido. E quando isso acontece, a felicidade nunca mais é espontânea. É artificial e, mesmo então, obtida ao preço de um tenaz alheamento de si mesmo e da própria história".⁣
⁣
"Quem é que está preparado para a tragédia e para o absurdo do sofrimento? Ninguém. A tragédia do homem despreparado para a tragédia - esta é a tragédia do homem comum".⁣
⁣
"O que o estava deixando espantado era como as pessoas pareciam correr para longe de si mesmas, correr para longe da matéria mesma, qualquer que fosse ela, que fizera dessas pessoas aquilo que eram e, assim drenadas de si mesmas, elas se transformavam no tipo de gente de quem, em outros tempos, elas mesmas teriam sentido pena". ▶️ Para comprar ou saber mais, clique no link da bio.

#booklover #philiproth #apastoralamericana #desafioumlivropormes

Follow Me!