Guias de Viagem e Arte

 
 
out 12 2006

O importante não é chegar … é ir! (A Saga do Caminho 9)

A primeira cidade do dia: Nájera, que nos séculos X e XI foi capital de La Rioja, após a destruição de Pamplona pelos mulçumanos. A entrada para a cidade não é nada bonita, mas o contraste ao atravesar a ponte que dá acesso a sua parte histórica é tremendo! Nesta antiga capital está um dos principais tesouros românico-gótico da España.
Caminho de Santiago

Dizem que o rei D. García Sánchez III caçava, quando sua presa entrou numa caverna. O rei foi atrás da presa, e descobri uma imagen de uma virgem, e ao seu lado um vaso com açucenas, um sino e uma vela. Depois de alguns anos, este rei conseguiu expulsar destas terras os muçulmanos, e para homenagear à virgem que segundo ele lhe acompanhou nas batallas, mandou construir o Monasterio de Santa María de la Real. E também instituiu uma das ordens mais antigas da España: Orden Militar de los caballeros de la Terraza o de la Jarra.
Caminho de Santiago

O monasterio é impressionante e cobra $ 2,00€ pela entrada. A igreja foi construída no lugar aonde estava a caverna da virgem.Na saída de Nájera passamos por um lindo bosque e alcançamos Azofra, aonde é muito mais barato comer do que em Nájera, e ademais melhor do que esperar a Cirueña, uma cidade com poucos serviços e atendimento “sofrível”. Em ambas se pode conseguir água nas fontes do caminho.

O mais lindo do dia estava por surgir … realmente Santo Domingo de la Calzada é um lugar mágico! Em que outro lugar se vê na catedral um galo e uma galinha? Sim senhores, VIVOS!!! E por quê isso?
Caminho de Santiago
Conta a história que um casal de peregrinos alemães chegou à cidade com seu filho de 18 anos. Eles se hospedaram na pousada de Santo Domingo, e uma empregada da pousada se apaixonou pelo jovem Hugonell. O jovem não quis saber da moça, e esta de vingança colocou um vaso de prata na sua mala, e denunciou seu roubo.

Nesta época o crime de furto era condenado a pena de morte, e o jovem foi condenado à forca. Os pais resignados seguiram sua peregrinação. Nesta época, além de ir caminhando, não havia outra maneira de voltar, que não fosse caminhando, asim em seu retorno os pais pararam em Santo Domingo para ver o corpo de seu filho. Para sua surpresa, o jovem seguia vivo. Santo Domingo lhe sujeitava pelos pés. Os pais rapidamente foram ao Corregedor contar o sucedido, o Corregedor sem acreditar em nada que lhe diziam, proferiu as seguintes palabras: “Seu filho segue tão vivo como a galinha e o galo que vou começar a comer”. Neste momento, o galo e a galinha começaram a cantar e saíram do prato. E desde então se diz na cidade: SANTO DOMINGO DE LA CALZADA / DONDE CANTO LA GALLINA DESPUÉS DE ASADA.

Desde então para lembrar o milagre, um casal de galo e galinha são mantidos dentro da Catedral. (Foto acima, na verdade foto horrível!!!). O casal é trocado a cada mês, mas permanecem pelo período de 1 ano dentro da Cofradía de Santo Domingo. E também um pedaço da forca do jovem Hugonell pode ser observado dentro da Catedral. Fora a linda lenda, milagre, como você queira chamá-lo, esta cidade é muito acolhedora. O peregrino é bem recebido e se respira o caminho por todas as suas ruas.

Para variar chegamos tarde, mas nos receberam na Cofradía de Santo Domingo de la Calzada, e dormimos em colchões no chão. Na verdade, sabe que é melhor dormir em colchões no chão, do que nos beliches ?! Se você dorme embaixo e a pessoa se move na parte de cima, você desperta. Se dorme em cima, qualquer coisa necessita descer e muitas vezes estes beliches não têm aquela escadinha para ajudar. Dormir no chão significa espaço, e não ter ninguém em cima de você!!! Isto me lembra uma frase española: “Solo no se consuela, quien no quiere” (hahahahahaha).
Caminho de Santiago

Era festa em Santo Domingo, estavam distribuindo uns chorizos incríveis e vinho. E a parte mais triste do dia, era a despedida de uns amigos. Muita gente que vive na península faz o caminho por partes, ou seja, neste ano, de Roncesvalles a Santo Domingo; no outro até León, e assim por diante até chegar em Santiago. O fascinante do caminho é esta flexibilidade, porque como dizia Chaplin: “O importante não é chegar, é ir”. Nesta viagem, entendi como nunca estas palavras…

Posts relacionados:
Tudo que é bom … (de Saint-Jean-Pied-De-Port a Roncesvalles)
Dificuldades … (de Roncesvalles a Zubiri)
Eu x Eu (de Zubiri a Cizur Menor)
Perdão e Reflexão (de Cizur Menor a Puente de la Reina)
Eu necessito … (de Puente de la Reina a Estella)
Da fonte de vinho a pocilga (de Estella a Los Arcos)
A chegada a La Rioja (de Los Arcos a Logroño)
Um lugar abençoado por Deus … (de Logroño a Ventosa)

Quer ficar sabendo quando saem os próximos posts?
Então curta nossa página no Facebook, clicando aqui.
Siga o nosso Twitter @turomaquia.
Viaje com a gente no Google+ – google.com/+TuromaquiaViagens
Inscreva-se no nosso canal no YouTube, e seja o primeiro a ver nossos videos Turomaquia.
Veja nossas fotos no Instagram – Turomaquia.

Imagens: turomaquia_2006

4 Comentários

  1. Astroyorch

    Me sigues recordando un montón de cosas bonitas del camino… Me encantan estos post “caminosantiagueros”besitos

    responder
  2. Kharina

    Ai Paty, ta cada vez mais emocionante essa sua historia!!Fazia tempo que nao entrava aqui, tinha bastante coisa pra ler, mas qdo comecei nao consegui mais parar!!!Sabe, mesmo eu, preguicosa do jeito q sou, vc consegue me encorajar a fazer. Tomara que um dia eu consiga!!!Daqui uns dias to te volta no BrasilContinua contando que ta mto bom de ler… to esperando a proximabeijos

    responder
  3. Turomaquia

    Gracias amigo míoooooooo, y ya llega Womad para que nos veamos y para que yo conozca a tu media naranja.Muchos besos

    responder
  4. Turomaquia

    Kharina afinal não vem me visitar!? Ademais, vocè sabe que pode fazer qualquer coisa que queira, e o caminho não é nada de outro mundo para quem tem uma vontade inquebrantável como a tua!BeijosAT: E brigaduuuuuuuu pela motivação, assim dá gosto escrever!

    responder

Siga o Turomaquia no Instagram

Instagram

  • O que é isso? Uma estação de trem basiquinha 😂😂 Qual foi a estação de trem mais bonita que você já conheceu?

#atocha #trem #madrilovers #tremEspanha
  • O entardecer da janela do nosso quarto de hotel. Como alguém abandona esse lugar? 
Mas amanhã não tem jeito, porque uma cidade monumental nos espera no sul 🙆🏼‍♀️ #madridview #madrilovers #hotelview #hotelesdeensueño #madri
  • Pelas ruas de Madri 💁🏽‍♀️ #street_photography #madrilovers #madrid🇪🇸 #espana🇪🇸
  • Desfrutando de uma visão 360 graus de Madri, onde? No nosso hotel. Para descobri-lo, clique no link da bio 💁🏽‍♀️ #viewmadrid #madrilovers #espanha🇪🇸 #hotelcomvistas
  • Depois de ver a série sobre Chernobyl na HBO, decidi comprar o livro da bielorussa e ganhadora do Nobel da Literatura, Svetlana Alexiévich. 🌟Madre mía, que livro. Para quem assistiu a mini série, a história do bombeiro e sua esposa é uma das que aparece nesse conjunto de entrevistas que pouco a pouco conformam diante de nossos olhos a história das pessoas invisíveis e muitas delas “desaparecidas” graças ao acidente de Chernobyl.

Essas vozes vão desenhando o que verdadeiramente aconteceu naquele 26 de abril de 1986 e nos meses subsequentes. E no fundo, vamos compreendendo como se forjou o caráter soviético resignado de entregar à própria vida ao Estado.

Entramos na vida de pessoas que de crianças sofreram com o Cerco a Leningrado (atual São Petersburgo) e que por ironia do destino hoje vivem na enorme área afetada pelo desastre. ➡️ Mas que vivem, sobrevivem vendo crianças que sucumbem aos mais diversos tipos de câncer, mulheres e homens que não podem ter filhos e um desalento que lhes leva a viver de glórias  e tempos passados. Porque além do desastre, das casas que deixaram, dos seres amados que perderam, também viram como seu mundo inteiro desabava com a quebra do bloco soviético.

A escrita de Svetlana é brilhante e como o outro livro que comentei “Pátria”, devia ser outra leitura obrigatória no Ensino Médio. Daqueles livros que fazem com que saímos da zona de conforto do nosso próprio umbigo, porque nos revela um sofrimento que dificilmente quaisquer de nós poderia suportar. Uma zona do mundo onde reina a desesperança. (Link da edição em português na bio)

#chernobyl #svetlanaalexievich #turolivros #oqueler  #vozesdetchernobil #desafioumlivropormês #books📚
  • Nem só do mosteiro vive Alcobaça. Dá uma olhada nas primeiras fotos 🤪 Preparei um guia completo para você desfrutar muito da cidade e do seu Patrimônio Mundial da Humanidade. Link na bio 👈🏽 #alcobaca #portugalovers #foodlovers #ondecomeremportugal #centrodeportugal #restauranteportugal #patrimoniomundialdelahumanidad

Follow Me!